Translate

quarta-feira, 18 de março de 2015

Lutas Olímpicas do Brasil já preparam Tóquio2020

Brasil prepara geração promissora da greco-romana visando Tóquio 2020

CBLA traça planejamento a longo prazo no intuito de formar atletas com potencial de medalha olímpica. Calebe Corrêa e Raphael Conceição despontam como destaques

Por Flávio Dilascio

As Olimpíadas do Rio ainda nem começaram, mas a luta olímpica brasileira já se programa para fazer bonito na edição seguinte dos Jogos, em 2020, em Tóquio. Se no presente as atenções ficam voltadas para Aline Silva e companhia, no futuro as esperanças estão depositadas em uma promissora geração do estilo greco-romano, liderada pelos campeões pan-americanos cadetes, Calebe Corrêa e Raphael Conceição. Treinados pelo cubano Juan Marén - dono de três medalhas olímpicas - a "geração de ouro" vem sendo trabalhada passo a passo para buscar medalhas a partir das Olimpíadas de Tóquio, quando a maioria dos lutadores estará na faixa dos 22/23 anos.

Calebe (à esq.) é esperança de medalha em 2020 (Foto: Divulgação/CBLA)

- Estamos levando os principais atletas dessa geração a competições adultas. É assim que se forma lutadores em condições de disputarem o ouro olímpico. A Confederação tem nos dado toda a estrutura para fazer essa preparação a longo prazo, e isso tem sido fundamental na formação desses jovens. Nesse momento, precisamos motivá-los, porque são todos fortes, inteligentes e capacitados. O ideal é que estejam no ponto em 2020 - comentou Juan Marén.

Natural de São Vicente (SP), Calebe, que completa 18 anos em maio, começou a vida esportiva no judô e migrou para a luta olímpica há três anos por sugestão do seu sensei. Com ótima técnica, logo começou a trilhar um caminho de sucesso no estilo greco-romano, conquistando em 2014 o pan-americano cadete (sub-17) da categoria até 50 kg, e o Brasileiro Júnior deste ano. Lutando atualmente na divisão até 60kg, ele estará em ação no Brasileiro Adulto, que acontece neste sábado, no Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes (Cefan), no Rio. A expectativa do promissor lutador são as melhores possíveis.

O cubano Juan Marén treina a nova geração brasileira do estilo greco-romano (Foto: Flávio Dilascio)

- Vou disputar o Brasileiro Adulto, embora ainda seja júnior. Espero que dê tudo certo no sábado, que eu tenha bons resultados e que faça grandes lutas contra os principais atletas. Minha meta é disputar as Olimpíadas de 2020 - comentou Calebe.

Torcedor fanático do Santos, o jovem tem no futebol sua segunda paixão. Influenciado pelo pai, também santista, Calebe é figurinha fácil nos jogos do Peixe na Vila Belmiro. Não fugindo à regra da maior parte dos torcedores da sua idade, o jovem lutador é fã de carteirinha de Neymar, com quem chegou a tirar foto em 2012.

- Sou santista desde pequeno, meu pai me deu educação (risos). Sempre vou à Vila assistir aos jogos. Neymar é o meu maior ídolo. Não queria que ele saísse do Santos, mas compreendi que era bom para a carreira dele. Sou fã do Léo (ex-lateral) também. Uma vez o encontrei na Vila, e ele me levou ao vestiário para tirar foto com todos os jogadores. Foi uma noite mágica - recordou Calebe, que costuma a usar uma camisa do Peixe em seus treinamentos da luta olímpica.

Após o Brasileiro, Calebe voltará as suas atenções para o Pan-Americano Júnior de Havana, em maio, e para o Mundial da categoria, em agosto, no Recife. Mantendo os pés no chão, ele ressalta que o importante é pensar nas competições uma de cada vez.

- Hoje só penso em lutar bem no Brasileiro Adulto e levar um grande aprendizado daqui. Acho que no esporte, é preciso superar etapas para você chegar onde quer - finalizou.

Fonte: Globo Esporte
Enviar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Blogs de Portugal