Translate

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Entrevista a Rui Unas

Entrevista a Rui Unas 

Ex-Lutador 


Rui Unas é Apresentador, Produtor, Autor e Actor, Músico, Humorista, digamos que é um dos muitos multifacetados da Televisão Nacional. Mas antes de ser o melhor Humorista Português foi Lutador desta Nobre Modalidade nos anos 80/90. Iniciou o seu percurso de Lutador no CCD Paivas no Concelho do Seixal e ai se manteve durante 11 anos, até à sua entrada num programa da RTP, “A Noite de Sonho” com a Catarina Furtado. Desde ai nunca mais largou a “caixa mágica”, participou em diversos programas, séries, filmes e conseguiu os seus programas e sempre que pode fez divulgação às Lutas Olímpicas. Por exemplo, “Cabaret da Coxa” num combate com o Músico João Pedro Pais e o Árbitro Rui Marta, no “Show Unas” com uma sátira a todas as Artes Marciais, a “Promo” de apresentação da entrada no “Último a Sair”. Conheça o percurso de Rui Unas nas Lutas Olímpicas. 


Mundo da Luta Olímpica – Como e onde iniciou a modalidade? O que o levou a optar pela modalidade?
Rui Unas – Iniciei a modalidade aos 11 anos no Centro Cultural e Desportivo das Paivas no Seixal, motivado pelos amigos da Praceta, que eram 2 anos mais velhos e que praticavam já uns meses. Na altura éramos muito competitivos e como não queria ficar atrás, tive que aprender como derrubar alguém.


MLO – Descreva um pouco a sua carreira como Lutador.
RU –
Pratiquei a modalidade durante 11 anos. Consegui alguns Títulos Regionais e Nacionais nos Escalões de Cadete e Júnior. Cheguei a treinar com a Selecção Nacional dos 14 aos 16 anos. Já com 21 anos treinei uma pequena equipa também no CCD Paivas.

MLO – Quais foram os seus desempenhos mais relevantes como Lutador?
RU –
Provavelmente, representar a Selecção Regional de Setúbal como Cadete e Júnior em Competições Internacionais.

MLO – Ainda se lembra do seu último Torneio/Combate?
RU –
Para ser franco não. Mas lembro-me que um dos últimos combates, tive que levar uns 4 pontinhos na nunca por um contacto acidental com os dentes do meu adversário.

MLO – Porque abandonou a modalidade?
RU –
Sobretudo devido à minha falta de tempo por motivos profissionais e também porque o Núcleo de Luta do Clube entretanto não tinha ninguém, para além de mim, para dar continuidade à actividade.

MLO – O que mais sente falta?
RU –
Da intensidade do treino e da camaradagem.

MLO – Que alegria e desilusão lhe deu a Luta?
RU –
Nunca me deu nenhuma desilusão, porque nunca me iludi. Sempre soube que era uma Modalidade Amadora e que nunca poderia viver da mesma. Só me deu alegrias e só tenho boas recordações.

MLO – O seu filho pratica Desporto? Alguma vez colocou a hipótese dele praticar Luta?
RU –
Já coloquei essa hipótese, mas não há nenhum clube na minha zona em que se pratique Luta. Mas sem dúvida que vou estimula-lo a praticar um Desporto de Combate, pelo menos em casa já pratica comigo e sabe os princípios da Luta.

MLO – As Lutas Olímpicas serviram para conseguir defender-se de um Homem na Rua em Mayllots?
RU –
Não, nunca tive que confrontar ninguém fisicamente. Por outras palavras nunca andei à porrada e não sei se iria pôr em pratica as noções que tenho de Luta. No entanto, posso dizer que nas quedas que tive de moto foi muito útil a Luta porque cai sempre enroladinho como se fosse projectado por um braço rolado.


“… Tenho noção que a modalidade tem um lado muito risível, não deixam de ser dois homens semi-nus agarrados e utilizo isso para o humor.”


MLO – Num Vídeo que publicou para os seus Fãs, sobre a sua passagem por esta Modalidade, afirma que as Lutas Olímpicas moldaram o seu Carácter e Espírito. Porque afirma isso?
RU –
A Luta é uma metáfora da vida. Temos que nos preparar para os combates, uma vez ganhamos, outra perdemos. Nada se consegue sem esforço e determinação. Na Luta como na vida não devemos ir contra as regras sob pena de sermos castigados, às vezes ganhamos aos pontos, as vezes por assentamento. Quantas vezes estamos por baixo e com garra, a querer inverter a nossa situação?


MLO – Conheço muitos dos seus trabalhos como Humorista e observo que sempre que pode, faz algo com as Lutas Olímpicas. Será a moeda de troca?
RU –
Não, não se trata disso. Tenho noção que a modalidade tem um lado muito risível, não deixam de ser dois homens semi-nus agarrados e utilizo isso para o humor… e bem, é sempre uma forma de promover a modalidade, porque nunca tive vergonha de assumir que fiz Luta, antes pelo contrario.

MLO – Num dos episódios do “Cabaret da Coxa” na SIC Radical, assistimos a um combate entre o Unas e o Cantor João Pedro Pais, vigiado pelo Árbitro Internacional Rui Marta. Foi para divulgar as Lutas ou para reforçar a amizade?
RU –
Foi apenas e só pelo espectáculo e para fazer uma coisa bem parva na TV.

MLO – Voltaria para a Luta se ela não fosse demasiado focada em contacto corporal, suada e de Mayllots?
RU –
Voltaria para a Luta se tivesse vida e corpinho para isso.

MLO – Um dos seus trabalhos que mais ênfase deu as Lutas foi a “Promo” da sua entrada para o Programa da RTP “Último a Sair”. Porque se lembrou disso?
RU –
Nem fui eu que me lembrei, foi a produção do programa. E eu aceitei de imediato, pela graça e porque daria uma reportagem bem diferente.

MLO – Depois do “Último a Sair”, “Última Ceia” e do “Fora da Box” o que esperamos do Rui Unas? Em termos profissionais o que têm em vista?
RU –
Não posso avançar nada pois nada está fechado. Ideias há muitas, mas as coisas em Televisão levam o seu tempo e não gosto de antecipar nada.

MLO – Nos próximos trabalhos, pensa em colocar mais algum sckets sobre esta Nobre Modalidade?
RU –
Não pensei nisso. Mas se houver oportunidade, porque não?

MLO – A Luta é um desporto pouco divulgado a nível nacional, porque é que acha que isso acontece?
RU –
A Luta hoje em dia é muito mais divulgado que no meu tempo. Vejo na RTP2 por exemplo muitas vezes a cobertura televisiva de Campeonatos. E depois porque com o sucesso do UFC, a Luta é sempre mencionada, pois há muitos lutadores de MMA que têm uma base de Wrestling.

MLO – O que acha do Blog Mundo da Luta Olímpica?
RU –
Acho que é um bom veículo de promoção da modalidade.

MLO – Que última mensagem gostaria de deixar aos leitores desta entrevista?
RU –
A Luta não é um desporto, é uma arte. Como disse atrás, uma metáfora para a vida.

Obrigado Rui Unas pelo tempo disponibilizado e por ter respondido a estas perguntas de um modo aberto e sincero.
Mundo da Luta Olímpica
João Vitor Costa
Enviar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Blogs de Portugal