Translate

sábado, 17 de janeiro de 2009

Polémica na ALADS

Candidatura rejeitada pelos associados GAC e SRBS



No início de época e com a entrada de 2009 a ALADS fica sem Órgãos devido a uma “vergonhosa” Assembleia-geral realizada no início do ano.

Realizou-se no passado dia 5 de Janeiro, na sede do Ginásio Atlético Clube da Baixa da Banheira – Moita, duas Assembleias-gerais da Associação de Lutas Amadoras do Distrito de Setúbal.

Estiveram presentes os seguintes Associados: o Ginásio AC, representado por Silvestre Fonseca, a SR Baixa da Serra, representada por Lídio Alecrim e o CL Bastos, representado por José Bastos. Estiveram também presentes os Dirigentes dos Órgãos da ALADS demissionaria liderada por José Capelo e alguns dos Candidatos aos Órgãos da ALADS, (lista que apareceu no inicio da AG, tendo com primeiro subscritor João Vítor Costa, e ainda dois representantes da Federação, Secretário Geral, Hildeberto Leão e o Director Técnico Nacional, Pedro Silva e o Técnico Oficial de Contas da ALADS, Fernando Carreira.

Iniciou-se a primeira AG com o ponto único de Discussão e Votação de Contas.
Teodoro Antunes, Presidente da Mesa da Assembleia-geral, abriu a AG dando a palavra ao Presidente da Direcção, José Capelo, para apresentar aos sócios o documento “Apresentação e fecho provisório das contas do ano de 2008” que foi elaborado pelo Técnico Oficial de Contas. O qual gerou enorme confusão dentro da sala, mas a mais grave e problemática foi a assembleia seguinte.

A segunda Assembleia tinha como ponto único as Eleições dos Corpos Gerentes. No inicio da mesma o Presidente da Mesa, abriu os trabalhos informando que tinha-lhe sido entregue nessa noite uma Lista cujo o primeiro subscritor era o Sr. João Vítor Costa, dando de seguida a palavra ao próprio para a apresentação da mesma.

João Vítor Costa enquadrou a candidatura que encabeçava com as seguintes afirmações:
- “Somos um grupo de pessoas que muito preza esta nobre modalidade e que se juntou para dar forma e continuidade a um projecto que dignifique as Lutas Amadoras. Continuidade essa, que queremos assumir, mas temos que nos dirigir conforme o Regulamento Geral Interno da ALADS, no Artigo 15º, Ponto 2 – “No caso dos Corpos Gerentes serem demitidos ou demitirem-se, os substitutos eleitos ou na eventualidade de se formar uma comissão administrativa, estes completam o mandato.””, acrescentou ainda, “Temos que agarrar desta forma o futuro da ALADS até Setembro deste ano, devido ao mandato acabar nessa altura. Mas depois desta confissão deixamos os votos e o desejo que por essa altura tenhamos realizado um bom trabalho e que o grupo mostra-se motivado, unido e com o desejo de fazer mais, prometemos candidatar-nos novamente para um mandato mais completo.”

Nas promessas João Vítor Costa, poupou-as para a próxima candidatura conforme exprimiu anteriormente, “Os meios que temos ao alcance não nos permitem trazer-vos promessas. Também as condições existentes não são as mais favoráveis. Por isso, neste mandato iremos “treinar” para que o próximo possa ser uma grande competição.”, mas por outro lado prometeu acompanhar lado a lado o dia-a-dia dos clubes e realizar o Torneio de Aniversário da ALADS no dia 09 de Maio deste mesmo ano. Ainda apelou à participação, envolvimento e apoio de todos os presentes para o sucesso da mesma.

O Presidente da Mesa explicou que não tendo a lista em questão sido entregue até 8 dias antes da AG, como estipulado no Regulamento Geral Interno, a mesma tinha de ser colocada à votação. A partir deste momento é que se deu a “revolução dos pastéis de nata”. Lidio Alecrim e Silvestre Fonseca lamentaram o desconhecimento até ao momento e, como tal, a mesma não tinha sido oportunamente discutida em reunião da Direcção dos seus Clubes.

João Vítor Costa explicou – “Fazer uma Lista para a Direcção é complicado, fiz um esforço enorme para a conseguir, devido a impossibilidade das pessoas é que só a consegui completar nesta mesma noite, impossibilitando o contacto com os clubes, mas acho que não haverá problema, porque queremos que a ALADS ande para a frente, mas dos 3 clubes só não consegui contactar 1, e tenho pessoas envolvidas nesta candidatura que estão nesses mesmos clubes e estranho esta situação porque contactei algumas pessoas envolvidas e a única situação que não consegui realizar foi atempadamente enviar a candidatura para a apreciação das Direcções dos clubes.”

O Clube de Lutas do Bastos, representado pelo seu Presidente, José Bastos, manifestou o seu apoio a candidatura em questão, propondo e subscrevendo a mesma.

Quando o Presidente da Mesa colocou a candidatura à votação para a aceitação da mesma, e na contagem dos votos teve um voto a favor, um voto contra (voto contra ?) e uma abstenção, o mesmo considerando um empate, retomou-se de novo à votação, sendo que esta ficou com um voto a favor e dois contra, deixando assim a ALADS sem Órgãos para continuar.

Mesmo com o Presidente da Mesa a apelar que se reflecti-se melhor sobre o sucedido, os representantes do GAC e da SRBS, não voltavam atrás, parecendo que boicotavam as eleições. Outro apelo do mesmo era que fossem encontrados esforços de uma Comissão Administrativa e/ou que os membros dos Órgãos Demissionários pudessem estar disponíveis para continuar por mais algum tempo até as próximas eleições. O qual todos os presentes e até mesmo os que boicotaram a Candidatura, manifestaram as suas indisponibilidades.

No final foi solicitado aos representantes da FPLA que transmitissem à sua Direcção o resultado desta “vergonhosa” AG, deixando o apelo que a mesma assuma a sua responsabilidade neste processo, nomeadamente no apoio aos Clubes e Agentes Desportivos do Distrito.

Assim está, foi e será, o fecho das portas da ALADS, marca o inicio da nova época e do ano no Distrito de Setúbal e deixando os clubes sem dirigentes associativos. Agora Setúbal arranja dirigentes capazes e tenta entregar os documentos a tempo e com disponibilidade de “dar” tempo ao manifesto.
Enviar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Blogs de Portugal